Skip to content

A Sinfonia das Sombras

October 8, 2012

Pedro estava cansado. Os olhos ardiam muito, e lacrimejavam. Seus pais conversavam com um casal de amigos na cozinha, tomando cerveja, comendo churrasco e conversando alto, entre gargalhadas. Não queria dormir. Elas estavam lá, apenas esperando que ele se deitasse, estavam lá na cômoda, escondidas no vaso de flores, nos estojos, entre as frestas da madeira velha. No início for divertido, quando apenas uma pequena silhueta bailava entre os livros sobre o móvel. Mas no último mês apareceram mais, dúzias delas, e nem todas com contornos tão indefinidos, algumas com brilhos vermelhos nas pequenas faces, outras com chifres e rabos. E não estavam mais mudas. Cantavam e dançavam ao som de uma música que prendia o menino de dez anos, numa fascinação que mesclava deslumbramento e o mais puro pavor. Em casa, seus pais o maltratavam, eram rígidos demais, e o proibiam até de jogar bola sozinho na varanda. A música das sombras cheirava a uma louca liberdade, e a sua dança frenética zombava de todo tipo de autoridade. Mas ele estava com medo. Montava um pequeno quebra-cabeça, no chão da sala, adiando ao máximo a sua ida ao quarto, onde seria espectador da sedutora sinfonia das sombras.microcontos de horror

Advertisements

From → Uncategorized

One Comment
  1. Hi, this is a comment.
    To delete a comment, just log in, and view the posts’ comments, there you will have the option to edit or delete them.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: